Feeds:
Posts
Comentários

O modo PAV+ é considerado o modo ventilatório mais fisiológico existente por três razões: devolve o controle ventilatório ao centro respiratório do paciente, oferece a ajuda necessária para o paciente manter sua ventilação realizando um nível ótimo de trabalho e não necessita de uma intervenção invasiva adicional, como a introdução de sondas, balões ou cateteres esofágicos. Seu uso é viável na prática clínica .
Autores: Lara P. Couto, Carmen S. V. Barbas

Clique aqui para ler o artigo completo

Publicidade

Síndrome cardiorrenal

O registro nacional americano de Insuficiência Cardíaca Aguda Descompensada (ADHERE) tem evidenciado uma alta prevalência de disfunção renal em pacientes hospitalizados por ICCaguda/agudizada, oscilando entre 27 e 60%, com impacto negativo quanto à morbimortalidade(5).
Autora: Maria Letícia Cascelli de Azevedo Reis
Clique aqui para ler o texto completo

Os autores apresentam um protocolo de intervenção baseado na progressão clínica e em parâmetros respiratórios objectivos. A decisão sobre o início da ventilação não invasiva (VNI) e de técnicas adjuvantes, como o recrutamento de volume pulmonar (RVP) e tosse assistida mecânica, é dependente do aparecimento de sintomas de hipoventilação e da deterioração dos parâmetros respiratórios especialmente os
respeitantes à função bulbar. Estes incluem a capacidade inspiratória máxima (CIM), diferença entre a CIM e CV (CIM-CV) e o fluxo pico associado à tosse (PCF).

Autores: J. AFONSO ROCHA, M. J. MIRANDA

Clique aqui para ler o artigo completo

O termo bronquiectasia refere-se à dilatação anormal e irreversível dos brônquios. Atualmente, nos países desenvolvidos, onde a maior parte das bronquiectasias é atribuída a doenças sistêmicas, como a fibrose cística e as imunodeficiências primárias, têm-se observado uma diminuição progressiva da incidência dessa doença.
A base do tratamento das bronquiectasias inclui tratar a causa específica quando possível, administrar antibióticos para tratamento da exacerbação e para supressão da carga microbiana, reduzir a excessiva resposta inflamatória, promover a higiene brônquica, controlar a hemorragia brônquica e remover cirurgicamente segmentos ou lobos extremamente danificados que possam se constituir em focos de infecção ou sangramento.
Autores : Paulo de Tarso Roth Dalcin, Christiano Perin, Sérgio Saldanha Menna Barreto

 

Clique aqui para ler o texto completo

Três tipos de doença pulmonar podem se desenvolver após exposição à sílica, dependendo do tempo de exposição e da concentração de sílica na poeira respirada.

Clinicamente, os pacientes apresentam dispnéia de início súbito, que se torna progressiva e incapacitante. Outras queixas comuns são tosse, fadiga, febre e perda de peso.

Autores: Edson Marchiori, Angela Ferreira, Arthur Soares Souza Jr.

Clique aqui para ler o texto completo

Em uma análise de um paciente, 52 anos, vítima de AVE hemorrágico (3o. episódio), com monitorização da pressão intracraniana foi verificado que atividades de higiene do paciente (banho no leito) aumentavam mais a PIC do que com os procedimentos realizados pela fisioterapia motora (mobilidade passiva no leito dentro da amplitude de movimento articular fisiológica). Muitas outras pesquisas devem ser realizadas para comprovação desse achado, mas se baseando nesse relato pode-se verificar que condicionar o paciente nesta fase ao repouso absoluto só resultará em perdas. Não há porquê não realizar a fisioterapia neste paciente considerando somente a preocupação com o aumento da PIC já que atividades cotidianas como o banho no leito causarão maior aumento desta PIC.

Fonte: Dra. Josiane Lopes

Clique aqui para ler o texto completo

A Unidade de Terapia Intensiva(UTI) é um serviço de internação para pacientes graves cujo paciente se encontre com uma função ventilatória incompetente, com o intuito de manter a ventilação adequada a via aérea artificial possui um balonete com uma pressão a ser aferida por meio do cuff.Quando a pressão está fora dos limites de normalidade isso acarreta em prejuízos ao paciente por isso a necessidade de manter pressão em 25 cmH2O.

Autores: Jamilla Ynaiá de Magalhães Araújo*; Maria Ayrtes Ximenes Ponte Colaco

Clique aqui para ler o texto completo

Os pacientes com queimaduras de tórax apresentam, além das afecções causadas pela própria queimadura, edema da parede torácica, perda da elasticidade da pele e dor, sendo que o curativo oclusivo pode restringir a expansibilidade torácica, ocasionando alterações nas pressões respiratórias máximas (PIMAX e PEMAX) devido à menor utilização dos músculos respiratórios. Contudo, justifica-se a elaboração desde trabalho para compreender se o curativo oclusivo em pacientes com queimaduras de tórax influencia na mecânica respiratória.

 

Autores: Tereza C. R. Ferreira1; Sérgio S. Carepa2; Jorge L. Spinelli3; Jakeline O. Bastos4; Letícia R. Costa4

clique aqui para ler o artigo completo

 

Doença de Parkinson (DP) é uma das mais freqüentes afecções degenerativas do sistema nervoso central. Estima-se uma incidência de 1 a 2% na população acima de 65 anos. Junto com o tratamento medicamentoso e/ou cirúrgico, os exercícios fisioterápicos têm contribuído para melhorar a acinesia, rigidez, postura, equilíbrio, quedas, marcha, congelamento e qualidade de vida.

Autores: Viviane V. dos Santos , Marco Antonio A. Leite , Renata Silveira , Reny Antoniolli , Osvaldo JM Nascimento , Marcos RG de Freitas
clique aqui para ler o artigo completo

Clique aqui para ir para site de origem.